quinta-feira, 22 de novembro de 2012

sábado, 13 de outubro de 2012

Estrutura externa

Curti muito ler o livro do Hallowell.
Algumas partes foram chatas, mas consegui ir até o fim!
Demorei uns 20 dias, mas até a parte em que ele explica a biologia do TDAH foi tranquila e bem mais divertida de ler do que no Mentes Inquietas, da Ana Beatriz Barbosa.
Ele explica direitinho.
Ainda que o livro todo seja ótimo, a parte mais divertida ainda são as famosas 50 dicas.
A primeira que chamou minha atenção é a necessidade de estrtura externa que a gente tem.
Mas quando eu falo "a gente", não me refiro só aos DDA, mas a todo mundo! Hoje em dia, todo mundo tem rotinas muito loucas, com coisas demais pra fazer, tempo, energia e concentração de menos.
Então, acho que esse papo de listas, códigos de cores, sistemas de organização são bons pra todo mundo.
Ele fala também de um planejamento padrão.Criar alarmes, avisos e alertas primeiro para as coisas rotineiras e que mesmo sendo rotineiras, a gente esquece de fazer de vez em quando!
O primeiro passo seria colocar os compromissos em uma agenda. O problema é que a gente esquece de olhar a agenda! Por isso a necessidade de algo que faça barulho, vibre e chame a atenção. Por isso que eu acho que depois da agenda eletrônica (super denunciei a idade agora) o celular é a maior invenção que já existiu. E depois do celular, o Astrid.
Marco no calendário do celular e no Astrid todos os meus compromissos e tarefas, com lembretes que me permitam me organizar pra cumprir as tarefas a tempo. Embora isso não signifique que eu não tenha uma agenda de papel e vários bloquinhos de anotação sempre à mão.
Coisas banais, como academia, terapia, horário de estudos, dar água pra plantinha (eu só tenho uma plantinha em casa. É bom minimizar os riscos de baixa no mundo vegetal, falo de cadeira), fazer as unhas, preparar a marmita pro trabalho, escolher a roupa e organizar a bolsa pro dia seguinte, tomar os remédios. Tudo acontece todo dia, na mesma hora. Se eu levanto uma hora mais tarde, preciso eliminar alguma coisa dessa lista, senão comprometo o dia todo. :(
Por isso, é importante ter disciplina!
Eu queria muito criar um sistema de organização pros meus estudos!
Assim que eu resolver algumas pendências que estão rolando, como comprar meu apartamento e me estabelecer na casa nova, pretendo dar início a isso!
Mas só de ter dado início a minha pós e a um curso que há tempos eu queria iniciar, 2012 já valeu a pena!
Pra quem tá curioso pra saber sobre as dicas do Hallowell, tem um link pra download na minha conta no 4shared: http://www.4shared.com/folder/918YLDat/_online.html

sábado, 29 de setembro de 2012

Hoje é o último dia em que vou me atrasar pro trabalho

Todo dia eu falo isso.

Na verdade, todo dia eu falo que "não vou me atrasar", não importa pra onde eu esteja indo. Academia, terapia, curso, pós, trabalho, jantar na casa da mãe, sempre estou correndo contra o relógio, contra minha preguiça, contra minha procrastinação crônica.

Em relação ao trabalho, ao cotidiano em si, desenvolvi umas técnicas bobas, mas que são muito funcionais pra mim.

1- Acorde 15 minutos antes.

Se eu tenho que levantar às 7AM, acordo às 6:45AM. 
É que quando acordo - e isso é assim desde o segundo grau - eu fico pelo menos uns dez minutos autistando no pé da cama, até lembrar que estou morrendo de vontade de fazer xixi e sair correndo pro banheiro! Depois é só lavar a cara e dar o primeiro gole no café e já engato no ritmo.

2 - Separe a roupa na noite anterior

No dia anterior já sei o que farei no dia seguinte.
Como preciso ir à academia pra gastar o excesso de energia, na noite anterior já separo a roupa pra malhar e escolho a roupa, bijus, acessórios, bolsa, tudo o que usarei no dia seguinte. Assim não perco tempo fazendo isso de manhã cedo. Isso inclui minha marmita. A primeira coisa que faço assim que termino de fazer o jantar é prepará-la.

3 - Escreva, anote

Coloque no papel. Agendas são úteis e existem pra isso. Quando você escreve o que vc tem que fazer no dia seguinte, se sente mais organizada e internaliza as tarefas.

4 - Divida as tarefas em outras menores

Se eu preciso levar um documento a um lugar, faço da seguinte forma:

- Entregar documento no lugar tal
      º Separar documento
      º Tirar cópia
      º Entregar
E vou riscando assim que termino cada etapa, pra ter certeza de que não me esqueci de nenhum detalhe.

5 - Alarmes

Coloco alarmes pra me lembrar de tudo o que devo levar além da bolsa. Inclusive pra tomar os remédios, colocá-los na bolsa e da bolsinha da marmita, que levo separada.

E mais importante que tudo: NÃO ENROLAR NA HORA DE LEVANTAR!

Porque se você começa se atrasando aí, todo o dia fica enrolado, num belo efeito bola de neve!

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

I Mostra de Arte Insensata

Recebi no Facebook um convite pra um evento que me chamou muita atenção: I Mostra de Arte Insensata.

A proposta é a seguinte: pacientes e funcionários da rede municipal de saúde psiquiátrica do Rio de Janeiro vão expor suas criações artísticas e participar de diversos debates, oficinas, vídeos-debates, rodas de conversa e até desfile de moda, pra discutir como a loucura se imiscui na arte e como a arte de dentro das instituições de saúde também tem seu valor.

Eu diria que a arte que vem de dentro dos hospícios são as mais válidas, pois todo artista que tinha um pezinho - ou os dois - na loucura eram os mais geniais! Pollock, Dalí, Van Gogh, Bispo do Rosário, e muitos outros, todos tinham sua sanidade contestada e genialidade comprovada!

Os próprios TDAH são tido como super criativos, extatamente pela nossa habilidade de conviver e viver no caos com certa tranquilidade, método esse que permite e diria, é indispensável aos processos de criação! (to empolgada, minhanossa)

Por isso, achei que essa mostra deve ser mesmo muito interessante!

Segue aí as imagens com a programação da Mostra:



Pra mais informações, você pode consultar também a página do evento do Facebook: http://www.facebook.com/events/437470912958662/

Lembrando que essa mostra já acontece há alguns anos em BH e agora está no Rio de Janeiro pela primeira vez. Quem tiver oportunidade de ir no Rio, acho uma boa! Agora não sei dizer se tá acontecendo em BH também...

E se você não sabe quem é Bispo do Rosário, procure saber! A história dele é bem interessante!

Aqui tem um link pra última exposição que teve sobre o trabalho dele que eu tive notícia: http://www.cultura.rj.gov.br/espaco-evento/caixa-cultural-unidade-almirante-barroso/artista-do-fio

Esse cara define muito bem o limiar que existe entre a loucura e a genialidade, a compreensão do cotidiano que os considerados mais insanos podem ter e que nos surpreende, e ainda assim, sofrer preconceito e ser marginalizado pela sociedade, haja vista que ele nunca saiu do hospício que habitou por mais de 50 anos, ainda que tivesse uma compreensão do mundo mais complexa que a de muita gente caminhando por aí.

Bem, o fato de ele achar que era um enviado de Deus não ajudava muito ele, mas ainda assim, isso não elimina o trabalho dele. ;)

E vocês, que acham dessa fina linha entre a loucura e a genialidade? Acham que nós, como TDAH, também andamos muito nessa corda bamba?

Dá pra viajar dias e dias nesse assunto!!!

domingo, 23 de setembro de 2012

Não esqueça do fazedor de pipi!


Se tem uma oportunidade no cotidiano pra divagar, a melhor delas é no banho!

Ainda que seja aquele banho corrido, quando você tá atrasada pra sair pro trabalho, em que você se determina a tomar um banho de princesa em dez minutos (pode, Bial?), a mente consegue achar onde dispersar.

Primeiro que eu adoro ler embalagem de xampu, condicionador, sabonete líquido. Além de eu ser alérgica a propilenoglicol, o que já me faz ler tudo que é embalagem mesmo, gosto de saber qual efeito aquele produto vai ter no meu cabelo/pele. Como ninguém lê isso em frente à gôndola do mercado - quem tem tempo??? - eu aproveito pra ler enquanto to usando o produto.

Aí isso já me faz pensar nas coisas que eu quero fazer no cabelo, se vai ser legal ir pro trabalho com o cabelo rosa, e será que as pessoas implicam com meu piercing na orelha? , ainda bem que tirei o do nariz, acho que dá um ar muito infantiloide, e eu já dei uma bela amadurecida, né? Já consegui fazer vários cursos que eu queria, já comecei minha pós, já, já, já....já passei condicionador? Poooutz, to passando de novo, meu cabelo vai ficar todo emplastrado! Tira, tira, tira!!! Caramba, esqueci de lavar o pé! Sempre esqueço de esfregar o tornozelo, aí eu opa! Escorreguei, minha nossa senhora, se eu caio aqui sozinha? Como que ia ser? Ia bater a cabeça no chão e iam me achar doze dias depois já decomposta e pior de tudo... pelada!!! 
Ai, gente, nem Marilyn Monroe pelada quando mortinha e azul ficou bem na foto, imagina eu!

Aí, nessa viagem se passaram 23 minutos e eu já tô atrasada pro trabalho.

sábado, 22 de setembro de 2012

E vamo botar água no feijão!

Acordei atacada!
Tenho uma baita dificuldade pra aceitar que não consigo fazer tudo o que quero fazer , na hora em que quero fazer!
Cheguei da rua e me atraquei com as panelas pra arrumar a marmita do trabalho, faltando meia hora pra hora de sair!
Nessa sempre acabo me atrasando pro trabalho :(
Agora além de sair atrasada, sair de mau humor, ninguém merece, né?
É que quando resolvi lavar a louça - outra coisa que não era pra estar fazendo aquela hora - me deparei com a panela em que tinha feito lentilha na noite anterior... cheia de água!
Lembrei que o namorado tinha limpado a pia. Só pode ter sido ele! Mas como que a pessoa não repara na panela cheia e me enche tudo de água???
Foi tudo fora, porque já tinha caído sabão e talz...
E eu queria matar o namorado!
Mas coitado, já tava tarde quando ele limpou a pia, ele cozinhou etc, foi muito pra cabecinha TDA dele. E quantas tdacagadas minhas ele já não aturou de boa?
Pensei, respirei, cabei com a louça e depois fiz o que os TDAHs fazem de melhor...
Esqueci!
P.S.: Pat, adorei a idéia de começar com uma música! Não é que funciona? Kibei! Hahahaha!

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Gap

Então, agora fiquei meio sem idéias do que postar...
Ando tão cansada que até consigo VER quando minha mente divaga!
Nessas horas, me pego escrevendo meu nome em algum papelzinho, em uma tentativa patética de auto-afirmação.

Tô tomando muitas verdades na cara com esse livro do Hallowell, vocês não fazem ideia.

Pra mim, a mais chocante foi o depoimento de uma paciente, dizendo que, pra ela, a vida é uma série de desgostos permeada por alguns momentos de prazer.

Eu sempre concordei com isso! Gostava de acreditar nisto, mas em uma perspectiva conformista, algo do tipo "pra que esperar tanto da vida se o que ela pode te oferecer é isso e só!?"...

Como se tivesse baixado as expectativas pra não sofrer muito. A vida é dura msm, é puxado!

Não me iludia com idéias de felicidade eterna e me contentava com os poucos momentos que a vida me oferecia.

Achava as pessoas em busca de um ideal de felicidade e pensava: "que idiotas!".

Me achava a maioral porque "sou realista".

Mas a realidade é uma bosta! Que faremos? Nada? Então, nada mudará.

Olha quanta coisa um simples livro faz a gente pensar!

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

No mundo da lua



Acabei de ler o livro No mundo da lua, do Dr. Paulo Mattos.
O livro é feito em perguntas e respostas, feitinho pro TDAH, que não tem paciência de ler e sai pulando aquilo que ele acha chato.
A abordagem do livro é leve, boa para leigos e até crianças.
Aliás, ele fala do TDAH adulto, mas fala com muita propriedade sobre o infantil. Achei uma ótima leitura para os pais!


P.S.: Deu pra reparar que eu sou uma leitura compulsiva, né?! Na verdade, sou compulsiva pra várias coisas: comer, beber, falar... Mas ler é a minha única compulsão saudável! Tem certas coisas que acho chatas de ler, mas livros sobre TDAH tem sido um prazer! Ainda bem, né! Senão meu autoconhecimento ficaria prejudicado e especialmente, meu tratamento.
Ler e se informar sobre o assunto também é muito importante. E isso também vale pra família do portador!
Infelizmente, minha família não se interessa tanto pelo assunto quanto eu. Mas isso é papo pra outro post. ;)



domingo, 9 de setembro de 2012

Me familiarizando com Tio Hallowell

Quando descobri que tinha TDAH, tive a reação padrão: um alívio absurdo!
Até entender que metade das coisas que aconteceram na minha vida de ruim - e de bom - não foram culpa minha, passou um bom tempo e muitas sessões de terapia.
Por um bom tempo achei graça do distúrbio. Cultivei meu bom humor em torno dos esquecimentos, das gafes, das topadas, dos erros.


Lendo o livro do Dr. Hallowell, Tendência à distração, comecei a entender porque algumas pessoas em blogs e grupos sobre o tema em redes sociais parecem tão deprimidas, especialmente aquelas que descobriram serem portadoras do transtorno na meia-idade.

Acho que depois do alívio, vem as lembranças. Passa aquele filminho da nossa vida na cabeça e dá aquela raiva! Essa raiva é uma vozinha na cabeça que diz "Por que não soube disso antes?" ou "Tanta coisa na minha vida poderia ter sido diferente se minha família tivesse essa informação antes!".

Todo mundo sabe que não vale a pena se lamuriar, especialmente sobre o passado, que não dá mais pra mudar.

Mas é inegável que o caminho do TDAH até o diagnóstico é mais doloroso do que parece.

Como o diagnóstico é dimensional, ou seja, existem pessoas com sintomas mais ou menos intensos, tem pessoas por aí que sofreram muito na escola, na faculdade, nos seus relacionamentos, em família e finalmente, no trabalho, até descobrirem que tinham um problema.

Alguns aprenderam a "desviar da bola" e desenvolveram mecanismos pra lidar com seus atrasos e esquecimentos - e esses mecanismos são importantíssimos inclusive se você já foi diagnosticado - mas outras pessoas sucumbem perante as dificuldades, se convencem de que são idiotas, retardadas, lentas demais pra viver em sociedade, e tem uma auto-estima do tamanho de uma noz. Alguns desenvolvem depressão.

Embora eu fique chateada com alguns excessos de mimimi, inclusive os meus - acho que isso é produto da criação que tive, muito inibidora de mimimis - não dá pra ignorar o quanto a gente sofre.

Mas ainda que existam muitos motivos pra chorar, precisamos persistir em sorrir.

Proponho uma campanha: HIPERFOCO NO SORRISO!

Que tal? No more mimimi.

sábado, 8 de setembro de 2012

Mantenha a calma



Então, to em crise.
E eu sei que eu to em crise.
Da última vez que fui no psiquiatra, perguntei se eu precisaria tomar antidepressivos  - porque a Ritalina eu já aceitei que é pra sempre mesmo - a vida inteira.
- Enquanto você sentir dificuldade em estabilizar seu humor, vai precisar tomar.
Todo fim de semana eu esqueço de tomar os antidepressivos. Não tomo a Rita, não tomo antidepressivos, quase não tomo a pílula!
Aí que eu já ri alto hoje, chorei enquanto lavava louça ao constatar que a gente nasce sozinho e morre sozinho: amigos vem e vão, homens, mulheres, vem e com certeza vão, a família, que é quem deveria ficar, nem sempre fica (no meu caso, não tem ficado há um tempão e minha terapeuta disse que eu tenho que aceitar isso e pronto), os pais, irmãos, também morrem um dia, caso você tenha uma família funcional, então, tudo o que resta é a solidão. É ou não é pra chorar?
Depois disso, gritei com meu namorado pra ele ir embora que ele tava me irritando! Tudo porque ele pediu preu limpar as migalhas de pão de cima da sanduicheira...
Acabou a luz no apartamento e eu mantive a racionalidade. Acabei meu banho - essas coisas sempre acontecem quando a gente ta no banho, malditos chuveiros elétricos! - e pedi pro namorado falar com o porteiro pra verificar o disjuntor geral. Resolvido o problema, com toda a calma do mundo, fiz o delivery vir aqui entregar uma mísera coca-cola (que custaram nada míseros oito dinheiros) porque eu tava morrendo de preguiça de sair na rua. Tem dias já que não tenho tido o mínimo saco pra interagir com o resto do mundo. Interagir com qualquer pessoa além do superficial me dá um nervoso terrível!
Tudo culminou com a coca-cola. Decidi abrir a maldita em cima do sofá. Acho que ela ficou muito feliz com isso! A reação dela foi imensa!
Surtei, chorei, tomei banho de novo, fiz mimimi, me convenci de que só faço merda. Tem muitos outros fatores que causam meu draminha que prefiro não falar.
Mas é um draminha. É crise, são pensamentos sem razão, coisas sem sentido, e eu sei que são.
E embora me digam "calma, calma, calma", só consigo responder CALMA É O CARALHO!

Já estou rindo alto de novo.


Já chorei de novo, emocionada com alguma coisa no jornal.


Acho que eu vou tomar os remédios amanhã.


Então, eu tinha muitas outras coisas mais proveitosas pra postar. Mas esse é o meu diário e eu tô em crise.

Então, f#$%#¨.

Depois de longo e tenebroso inverno...

Bundinha, avoadinhos do meu coração!


Sentiram saudades? Eu morri de saudade de vocês, mas sinto muito, nem assim me animei a voltar a escrever.


Por favor, não levem pro lado pessoal, sim? É que o TDA/TDAH tem mesmo essa tendência ao desânimo.
Primeiro a gente empolga horrores com uma coisa, fica quase obsessivo, depois larga de mão, igual criança que enjoou de um brinquedo.


Meu namorado adora me zuar com isso. Diz que quando eu descubro brinquedinhos novos, não dou mais atenção pra nada, nem pra ele. E eu sou apaixonada por ele, veja bem!




Um desses brinquedinhos novos que encontrei foi o Lumosity.
Quem me apresentou foi o @FBenassi, gente boa toda vida, e que vive me dando dicas. Valeu, querido!
O Lumosity tem vários jogos pra deixar o cérebro tinindo, e vc pode desenvolver uma bateria de testes de acordo com as suas necessidades (memória, velocidade, concentração).
Alguns testes são gratuitos, mas pra destravar todos, tem que pagar. Como eu sou pobre, to jogando os gratuitos! Hahaha!

domingo, 6 de maio de 2012

Astrid, o polvinho camarada

www.astrid.com
Testei inúmeros aplicativos para Android que pudessem se adaptar aos nossos cérebros distraídos, esquecidinhos e deficientes no córtex pré-frontal e confesso que minha melhor experiência foi com o Astrid.
Deixa eu explicar:


1. Organização


O Astrid permite que você organize listas, onde ficarão contidas as tarefas. Você também pode organizar as tarefas por tags e adicionar comentários em cada uma delas, o que permite uma busca mais fácil ou localização das mesmas. Você pode renomear as listas já existentes e/ou criar novas.
O Evernote também permite fazer a mesma coisa e ainda permite que você crie lembretes verbais, em formato de fotos, desenhos, uma variedade de coisas! Mas não tem uma vantagem essencial que vou explicar depois.


2. Layout


O layout do Astrid é colorido e divertido, perfeito para TDAHs, que ficam entediados diante de programas em preto e branco ou sem muitos atrativos gráficos. E a diversão do app não fica só nisso! O mascote, o polvinho Astrid, fica motivando o postergador de tarefas profissional com frases engraçadinhas! Vocês não fazem ideia do que já fiz o coitado "dizer" pra mim! Até implorar o coitado do polvo já implorou! Mas eventualmente completei a tarefa e ele ainda me deu "Parabéns!", hahaha!


3. Widget


O app permite que você coloque um widget em qualquer tela do seu celular. Eu criei uma lista de "Urgentes", assim tinha fácil acesso ao aplicativo e a uma lista de resolução imediata, caso eu precisasse anotar algo que tivesse acabado de lembrar! Depois, precisa tirar um tempo pra organizar as listas se for o caso. Mas como a interface dele é muito simples, você faz isso rapidinho. O Evernote também perdeu pontos aí, bem como outros apps. Não eram tão práticos ou funcionais.


4. Compartilhar


Você pode atribuir tarefas a seus amigos e ele utiliza sua lista de contatos para isso, enviando um e-mail para a pessoa. Você pode ainda sincronizar com as suas Google Tasks e criar eventos no calendário do celular ou do Google a partir dele!


5. Websites


Tanto o Evernote (2º melhor na minha opinião) quanto o Astrid tem websites sincronizáveis com o app do celular. Você pode criar/editar listas de tarefas no PC ou no mobile.


6. Alarmes


A grande diferença pro TDAH entre o Astrid e o Evernote é a existência de alarmes! E você pode ajustar o alarme pra tocar uma vez, 5 vezes ou até você pegar no celular  e desligar aquela porcaria! (o mais indicado, no nosso caso, né?)
O chato é que você pode adiar - por horas, dias, semanas ou meses! - o que não é legal pra quem já costuma fazer isso regularmente. Mas se você se comprometer a fazer no dia e na hora que você se pré-estabeleceu pra cumprir aquela tarefa (vc já escolheu dia e hora, po!), não terá grandes problemas com isso.


Pra mim, essas são as razões principais porque você pode entregar a organização do seu cotidiano nos tentáculos deste polvo. 
Depois que ele virou meu amigo, estou muito mais organizada e produtiva!
É como se a minha agenda vibrasse, tocasse, implorasse pra eu terminar tudo de uma vez, várias vezes ao dia ou por semana, com recadinhos engraçadinhos e ainda me desse parabéns quando eu completo as tarefas!
Óbvio que eu ainda tenho agendas e post-its em todo lugar. Mas que o Astrid é uma boa ajuda em conjunto com tudo isso é inegável!

Mudanças de humor



Nos últimos tempos tenho reparado em mim umas mudanças de humor muito características.
Parece coisa de menininha mimada, mas quando me sinto contrariada ou frustrada, tenho dificuldade de lidar com isso, logo fico de cara emburrada.
Mãs, se eu pensar por alguns minutos, com calma, logo encontro uma solução!
E a carinha vai de :( pra :) rapidinho!
TDAHs gostam de criar e tem necessidade de se sentirem produtivos. Geralmente, se programam pra fazer um milhão de coisas ao mesmo tempo e quando não conseguem cumprir esse cronograma (tipo, quase sempre!), ficam ~chatiados~
Aí você vê o cara cabisbaixo, decepcionado consigo mesmo ou até mesmo meio P da vida! Não adianta pedir pra pessoa se acalmar ou aceitar a situação da melhor forma possível...
Vai ficar com cara de tristinho até se resolver consigo mesmo. Colocar a mão no coraçãozinho e tirar dali aquela sensação chata e resolver a situação.
E pra resolver, é só colocar essa mentezinha distraída e criativa pra funcionar!
Se você se concentrar no problema com a atitude certa, a experiência me mostrou que dificilmente não conseguimos resolver um problema.
Somos sensíveis e inovadores o suficiente para avaliar todas as variáveis de uma situação ao ponto de trazer uma solução sem magoar ninguém. Conseguimos, com calma, rever nossas prioridades e refazer o curso de nossas vidas sem perder a racionalidade.
Então, não adianta ficar remoendo nada. Bote a cabecinha pra funcionar!


Para as meninas, essas mudanças de humor tem outras causas. 
Sim, a lindinha da TPM.
Muitas tem problemas hormonais aparentemente por causa inclusive da medicação. Os remédios atrapalham até as funções intestinais da moça e todo mundo sabe que isso irrita qualquer um! Imagine uma mulher com TPM que não esteja tomando seu Activia direito! Pooois é! Tenso, Brasil!
Então, a única saída racional é melhorar a alimentação! Arroz integral, oleaginosas, verduras escuras, castanhas e nozes, banana e melão, salmão, trutas, sardinhas e menos carne vermelha. Pílulas de ômega 3 (linhaça, óleo de peixe, óleo de prímola) também são muito bemvindas.
Exercícios fazem bem em todos os casos. Ajuda a controlar a ansiedade e aumentar a emissão de dopamina e endorfina no organismo, aumentando as sensações de bem estar e satisfação e afastando a depressãozinha que pode dar nesse período ou por conta das próprias mudanças de humor do TDAH.
Dá uma googlada, você acha muitas dicas a respeito.
Essas dou baseada na minha experiência pessoal e te digo que funcionam pra mim. Espero que funcionem pra vocês também! ;)

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Sair pra beber com o TDAH

É super divertido!
Tem papo pra noite inteira, ele fala impropérios, quebra o gelo com todo mundo, faz novos amigos a cada gole, brilha feito um sol em domingo de verão!
Aquele processo que as pessoas passam quando bebem - do macaco, pro leão até o porco - é feito com primazia pelo TDAH. Como bom impulsivo que é (e às vezes compulsivo) bebe até esquecer o que é estar satisfeito e às vezes acaba passando um pouco do ponto. Se deixar, faz oinc oinc no fim da noite facim!
Mas até lá, o cara é só diversão!
O problema é o fim da mesa, a hora da malvada, quando chega a desdita...
Na hora de dividir a conta, a pessoa se embaralha, fica confusa com todo mundo gritando "quanto fica?" no seu ouvido e soma quando tem que diminuir, multiplica quando tem que dividir! 
Todo mundo fica sem entender porque a criatura não consegue dividir uma conta de 100 pratas por dez pessoas e o infeliz é logo intitulado como o bebaço da noite.
E foi nessa roubada que me colocaram ontem à noite!
Dois economistas e uma contadora na mesa e deram a conta pra quem? Pra única advogada bêbada e TDAH da mesa.
Droga. ¬¬


P.S.: No fim deu tudo certo, mas até um certo momento, pensamos que tínhamos pago R$25 a mais. Nessa confusão, ganhamos umas cervejas de graça e ficou tudo certo! 
P.S.: Tem um tempo que não faço oinc, fiquem tranquilos!

terça-feira, 17 de abril de 2012

10 mitos sobre a Avoada - mito #9

"A Avoada é prima de bicho-preguiça."

Muitos TDAHs sofrem com esse estigma. 
Por conta da nossa necessidade de estarmos sempre fazendo algo novo e estimulante, logo que alcançamos um primeiro objetivo (ou nem isso), desistimos do que estávamos fazendo, dando início a um novo projeto.
Dá a impressão de que não terminamos nada do que começamos, simplismente porque ficamos entediados! 
Embora pras muitos pareça fácil, temos grande dificuldade em combater esse tédio. Quando crianças, somos aqueles que quando estão perdendo, abandonam a brincadeira, ou mudam as regras no meio do jogo porque "desse jeito é muito chato". 
Quando crescemos, qualquer coisa que nos pareça física ou intelectualmente desinteressante (e isso acontece com uma frequência absurda) deixa de fazer parte de nossos afazeres e logo procuramos algo novo pra fazer. Somos eternos formandos, estudantes, e "ex" todo tipo de coisa: ex-dançarina, ex-pianista, ex-datilógrafa, ex-técnica de informática, ex-veterinária, ex-administradora de empresas etc...
Parece que temos preguiça, mas temos é indecisão. E tédio, muito tédio.

terça-feira, 20 de março de 2012

10 mitos sobre a Avoada - mito # 8

8. A Avoada é muito ocupada.


Não necessariamente. Eu só vivo correndo. 
Sabe aquele cara do escritório que fica andando pra cima e pra baixo com uma folhinha de papel, fingindo que tá trabalhando? Então, eu sou esse cara só que sem a má-fé, entende?
Estou sempre andando de um lado pro outro, com algo na mão, que nem sempre me serve naquele momento, tentando entender qual será meu próximo passo ou movimento.
Parece que estou fazendo altas elocubrações, montando várias estratégias de ação, ainda mais quando estou murmurando coisas baixinho pra mim mesma!
Se você prestar um pouquinho mais de atenção, é possível que me escute dizendo, enquanto corro pela rua:


"Hoje eu tenho terapia ou fisioterapia? Hoje é quinta, então é terapia. Preciso do meu cartão do metrô. Será que deixei ele na bolsa ou esqueci no bolso da calça que usei ontem? Poxa, eu podia ter trazido um livro pra ler hoje..."
 Parte desse frenesi também ocorre porque como estou sempre atrasada, estou sempre correndo pra compensar os minutinhos perdidos!
Quando chegava na terapia, geralmente ficava andando de um lado pro outro na sala, dando aquela sacada na janela, sentava na cadeira, mas sem me refestelar muito, esperando ansiosamente que a terapeuta me chamasse. A terapeuta tentou inúmeras vezes me convencer de que "eu já tinha chegado, poderia relaxar!". O problema é convencer minha hiperatividade. E minha necessidade de sempre estar fazendo algo novo e estimulante!

quarta-feira, 14 de março de 2012

10 mitos sobre a Avoada - mito # 7

7. A Avoada só fala com quem convém a ela.


Estou andando pela rua. Eu tenho um lugar pra ir e tenho hora pra chegar, mas a minha mente não acompanha muito bem esse raciocínio!
Geralmente é assim que acontece:


"Nossa, que dia lindo! Ontem choveu tanto e hoje abriu esse solzão! Se bem que podia soprar um ventinho, não ia ser nada mal, meu cabelo já tá grudando no meu pescoço!(Puxa o cabelo da nuca, tropeça em uma amêndoa no chão) Essas amêndoas são uma temeridade, se cai no capô do carro de alguém! Será que a Prefeitura indeniza um troço desse? Se eu entrar com uma ação contra a Prefeitura, será que indeniza? Eu bem podia buscar jurisprudência a respeito.Aliás, vou pedir pra massoterapeuta usar outro creme hoje, aquele com óleo de amêndoa tem um cheiro muito forte pra ir trabalhar depois. Todo dia eu passo aqui e não tenho cash pra comprar essas toalhinhas de mesa, são tão bonitinhas! Iam ficar legais lá em casa e são pequenas, fáceis de lavar. E esses grampinhos de cabelo, hein? Essa franja já ta me incomodando! 'Não, moça, to só olhando, obrigada, viu?' Coitada, eu aqui sem um tostão e encaroçando a moça, eu vou embora! Será que é permitido vender Natura na rua assim? Ai, meu Deus, a saída de ar do metrô e eu de saia! À merda com esses negócios, que eu não vou dar uma de Marilyn a essa hora da manhã, pra esse bando de homem aí ficar olhando a minha calcinha! E esses trabalhadores de obra, sem um equipamento de segurança? Isso sim dá indenização trabalhista! Que absurdo, o cara fica o dia inteiro ouvindo essa maquita no ouvido? Chega em casa, só ouve zumbido! E máscara de rosto, não usa? E o fiscal da obra ali do lado, não diz nada? Será que eu falo alguma coisa? Vou ligar pra Secretaria de Obras, onde já se viu....PQP, aquele cara que passou trabalha comigo, vai pensar que eu ignorei ele! Poutz! Mas será que é do trabalho mesmo? Não, acho que foi meu colega de faculdade, não? Ah, não lembro! Ai,ai,ai, o metrô tá vindo! O metrô tá vindo!" (Corre na plataforma. Não chega a tempo, tropeça no pé de um senhor e finge que continua correndo).


Viu? Não sou metida, sou distraída. Tem até comunidade no orkut.



sexta-feira, 9 de março de 2012

10 mitos sobre a Avoada - mito #6

6. A Avoada não gosta de crianças.
     Parece que copiei da Gláucia esse tópico, mas depois daquele post em que eu brinquei que não poderia ser mãe, um ou dois podem ter pensado que eu realmente não gosto de crianças.
     Na verdade, eu as adoro. Não penso em ter nenhuma tão cedo ou talvez nunca terei nenhuma. Mas acho que seria uma boa mãe, daquelas divertidas, que se empolgam com qualquer brincadeira e contam estórias maravilhosas antes de dormir.
     Ocorre que pra se ter um filho hoje em dia, boa imaginação não é o suficiente, uma pena! A gente tem que pensar em como vai sustentar, dar uma boa educação e ser presente (eu mesma tive uma criação muito ausente. Nunca senti falta de barbies, embora nunca as tenha tido, era muito moleca pra isso! Mas morria de saudade dos meus pais quando eles iam trabalhar). Acho que não quero ser mãe enquanto eu não puder ser uma BOA MÃE.

quarta-feira, 7 de março de 2012

10 mitos sobre a Avoada - mito #5

5. A Avoada é uma vampira.
     Eu tenho sérios problemas pra dormir, é verdade. Durmo pouquíssimas horas por dia, quando durmo. Uso Rivotril pra dormir muitas vezes e se não estabeleço uma rotina bem acertadinha, tenho sono no meio do trabalho, acordo feito zumbi, ou chego em casa e durmo quando poderia estar estudando ou na academia ou postando no blog ou....Na verdade é o "ou" que me atrapalha. Sempre acho que tenho que estar fazendo alguma coisa e meio que "esqueço" de dormir. Aí pareço uma vampira, daquelas que nem no caixão tiram uma soneca. Mas desde que comecei a frequentar a academia, isso melhorou muito, sério!
     Exercícios fazem muita diferença pra mim, porque acabo exaurindo minha energia e arrumando uma espécie de baú onde guardo toda a minha ansiedade. Acho que os funcionários da academia se encarregam de jogar o baú fora de tempos em tempos, e eu fico com mais sono na hora de dormir e mais animada na hora de levantar!
     Em breve, quero testar os efeitos da meditação e da yoga nos meus processos de ansiedade e hiperatividade. Mas ainda acho que exercícios, yoga e meditação são benéficos pra todo mundo! Mas pra quem é TDAH, quanto mais variáveis a favor da saúde, melhor para vencermos as atribulações causadas pelo transtorno. 
 

segunda-feira, 5 de março de 2012

10 mitos sobre a Avoada - mito #4

4. A Avoada deve ter comorbidades, porque ela não tem muitos amigos no Facebook.
     Não sei como são as coisas no seu emprego, mas no meu as pessoas que tomam remédio tarja preta são malucas de atirar pedra, geralmente taxadas de tarados e coisas do gênero. Sou uma escorpiana muito da bocuda, então já falei muita besteira de baixo calão entre amigos. Além do mais, sou aquele tipo de TDAH que fala absolutamente TUDO que passa pela cabeça, sem filtro nenhum. Foi por isso que eu procurei um psicólogo, aliás. Não aguentava mais a minha língua solta demais. Então,se descobrirem que tomo remédio tarja preta por lá, nunca mais conseguirei uma promoção ou… minha dignidade, sei lá.
     Eu sei, é muito feio não me defender do preconceito, dar a cara à tapa blá, blá, blá. Mas pretendo fazer isso quando eu achar que tenho controle emocional pra fazer isso. E sinceramente, acho que isso é um problema meu, extremamente pessoal, mais pessoal do que as babaquices sexuais que eu costumava falar antes de tomar tarja preta e que ainda assim eu falo de vez em quando.
     Por isso, não me identifico sempre que possível (embora já tenha estourado meu incrível disfarce em inúmeras ocasiões. Umas porque eu sou distraída e atrapalhada, outras porque soltei a língua quando não devia, outras porque achei que precisava me defender de um ou outro preconceito) e não adiciono pessoas MUITO próximas no Facebook. Prefiro falar sobre esse assunto com pessoas que sabem exatamente do que estou falando e que não poderão fazer juízo de valor sobre mim depois.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

10 mitos sobre a Avoada - mito #3

3. A Avoada é uma espiã que se infiltra em comunidades sobre TDAH pra vender ritalina.
     Eu tenho duas parcelas a pagar na farmácia só de ritalina, mas acredite, é só pra uso pessoal. Como boa TDAH, eu já deixei vencer receitas do remédio e meu médico me dá receita pra comprar todas as caixas que preciso de uma vez, pra eu não correr o risco de esquecer.
     Só porque eu não tenho foto no perfil não quer dizer que eu seja uma marginal da sociedade.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

10 mitos sobre a Avoada - mito #2

2.  A Avoada é uma fanática religiosa que acredita em fadas, duendes e pequenos X-men
     Em primeiro lugar, eu não curto muito a franquia X-men...
     Eu sou TDAH, curiosa e espírita.
     Sou espírita exatamente porque não consigo desassociar nada da ciência e foi a única filosofia ou doutrina religiosa que encontrei que não fazia isso.
     Mas só porque postei um texto sobre uma tese abrangida por uma parte dos adeptos dessa doutrina não quer dizer que eu sou propagadora dessa ideia.
     Me considero mais uma pesquisadora de ideias.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

10 mitos sobre a Avoada - mito #1

 
Vi esse post no blog da Gláucia, o Ritalina com Bobagem e adorei. Como ela foi super doce de liberar conteúdo, resolvi fazer um 10 mitos também, como se fosse um meme.
Só pra esclarecer, peguei essa ideia no Ritalina com Bobagem! (ficou bom desse tamanho, Gláucia? Hehehe! Ela disse que créditos pequenininhos não valia!)
Só que eu acho que 10 mitos são muita coisa! Pra alguém que ainda não aprendeu como escrever para web e é prolixa até dizer chega, é muita coisa mesmo! Sem falar que escrever para web e para TDAHs exige que seja rápido, senão mole mole se perde leitores! :P 
Então, vou postar um mito em cada post.
Lá vai!
 
1. A Avoada é um macho abdutor de TDAHs jovens e inocentes
     Dizem as más línguas que na verdade eu sou um macho peludo que se faz passar por uma moçoila TDAH para seduzir moças para a minha casa de praia, me aproveitando de sua boa índole e de sua distração patológica.
     A verdade é que eu sou uma moça que se apaixonou por um rapaz não tão peludo que me seduziu com sua distração docemente patológica. ( Amor, te amo.)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Teste #2

1. Seus amigos, colegas de trabalho e familiares te apelidam de "enrolada", "atrasilda", "avoada", "no mundo da lua", "ligeirinha", "bicho carpinteiro", "estabanada", "desastrada", "mão de alface", dentre coisitas mais carinhosas do gênero;
2. Essas pessoas reclamam que tentam falar com você, mas você não escuta quando elas te chamam;
3. Quando você começa a desconfiar de um caso de surdez;
4. Não esqueça que você pode mesmo estar ficando surdo. Mas é sério, não esqueça!
5. Você tem inúmeros gadgets e aparelhos eletrônicos para te lembrar dos seus afazeres;
6. Você tem uma agenda, um caderno e doze blocos de anotação espalhados pela casa pra não esquecer nada;

6. Você anota "banho" ou coisas banais do gênero na agenda ou nos blocos de anotação;
6. Você não olha nem agenda, nem bloco, nem caderno, computador ou qualquer coisa que o valha antes de sair de casa;

7. Você tem uma consulta médica marcada. Só não lembra onde nem quando; (isso é um mero detalhe)
8. Você teria um currículo maravilhoso se tivesse terminado ao menos 1/3 dos cursos que começou;
9. Você é conhecida por ser linguaruda, não ter papas na língua, ser pavio curto ou viver passando por gafes. Ou tudo junto!
10. Você não reparou que a numeração deste teste está errada.
 
Cara, se você já respondeu "sim" a todas essas, de novo...
Bemvindo(a) ao clube.
Obs.: Esse post não tem nenhum embasamento científico, apenas observação empírica.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Tdatacada

Não parece que tem dias que o TDA tá mais atacado?
Esses dias deixei a receita do remédio vencer e PQP tô mais repetitiva que um papagaio com essa história de que deixei vencer a poha da receita nem eu me aguento mais com isso mas enfim  fiquei uma semana sem medicação.
É lógico que eu pensei "mifu!", mas fiquei surpresa com o meu poder de concentração nesses dias "sóbria".
Claro que eu me metia na conversa dos outros, respondia pergunta que não era pra mim, cantava no meio do expediente e vivia com os fones de ouvido pregados na orelha com medo de me dispersar demais. Mas não fiz caquinhas nas minhas planilhas, não mandei e-mails pra pessoas erradas e não perdi o prazo de nada do que me comprometi a fazer.
Perdi vários compromissos, inclusive não fui à terapia. Foi uma semana de atrasos constantes! Fiquei frustrada, mas no fim da semana, quando vi que não tinha dado prejuízo pra ninguém e inclusive tive meu trabalho elogiado, me perdoei. (Em crítica, me disseram que eu deveria ter mais foco, mais atenção na execução das tarefas e menos insegurança, já que meu trabalho é bom. Era mais fácil ter dito "Seu trabalho é muito bom! Exceto a parte do DDA que não é muito legal...". Disseram que eu deveria ser mais participativa também. Isso quer dizer que eu preciso tirar os fones de ouvido e dispersar mais? Complicado, gente.)
Na semana seguinte voltei à academia, voltei a estudar, fui na fisio, cheguei na hora no trabalho. Estava cheia de prazos e era minha última semana antes de sair de férias. Precisava deixar pendências zeradas. 
E não é que nessa pressão toda, fiz caquinha (de leve) na planilha, mandei e-mail pro lugar errado, esqueci várias coisas que tinha pra fazer, de anotar vários lembretes e compromissos no celular?
Como isso é possível, se eu estava medicada?
Pelo jeito, o remédio não faz milagre. A gente tem que estar ligado o tempo todo e não se descuidar.
Acho que por estar de posse daquele bilhete amarelo já me senti segura demais, baixei a guarda e o TDAH atacou com tudo!
Acho que o certo é ficarmos sempre vigilantes, sabendo que temos uma probabilidade maior de cometer erros. Mesmo medicados.
Droga de droga. ¬¬

Teste #1

Você deve desconfiar de que é um(a) TDAH quando:
1. Usa excessivamente o verbo esquecer na primeira pessoa do singular conjugada em inúmeros tempos verbais;
2. Se faz muito a pergunta "do que eu estava falando mesmo?";
3. Não tem a mínima ideia do que comeu ontem no almoço.;
4. Não lembra se comeu ontem no almoço;
5. Costumeiramente não consegue assistir à aula de laboratório do colégio porque esqueceu a apostila;
6. Já foi detida mais de uma vez com a carteira de motorista vencida;
7. Vive fazendo segunda chamada de provas na escola ou na faculdade porque esquece a data da prova;
8. Tira notas baixas ou acaba reprovada porque grita "PQP, era pra hoje!" na cara do professor no dia da entrega daquele trabalho que valia ponto pra passar;
9. Vive tomando esporro do seu chefe porque "era pra hoje" o material que você tinha que preparar para aquela reunião;
10. Perdeu o próprio aniversário. Aham, você esqueceu que era hoje;

Cara, se você já respondeu "sim" a todas essas, não vou até o 50. E seria fácil chegar lá!
Bemvindo(a) ao clube.
Obs.: Esse post não tem nenhum embasamento científico, apenas observação empírica.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Leon Reporta - TDAH

O Leon tem um canal no youtube. Ah é, e ele também tem TDAH! Ele fez um vídeo bacana, engraçado e bem informativo sobre o tema!

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Carta aberta a um grupo do Facebook

Gostaria de manifestar meu descontentamento, bem como minha MÁGOA perante a intolerância e rejeição que sofri nesta comunidade, de forma desproporcional e descabida. Para isso, ainda estou sendo obrigada a me identificar, coisa que evitei fazer nos últimos meses com o fim de me preservar. Porém, meu sangue ferve diante de injustiças (vejam bem, eu estou tremendo neste momento e não sou uma pessoa que gosta de perder o controle...) e me sinto obrigada a me manifestar. Em agosto do ano passado fui diagnosticada com TDAH e buscando informações sobre o assunto fui gentilmente "cooptada" por nosso amigo Ferreira Grama a participar deste fórum. Conversei online com muitas pessoas, troquei experiências valiosas, experiências estas que resolvi estender à publicação de um blog chamado Diário de uma Avoada - http://diariodeumaavoada.blogspot.com - em que conto meu cotidiano desde que obtive diagnóstico. Embora permanecendo anônima, divido ali, como todos aqui fazem, minhas preocupações, minhas trapalhadas rs e minhas descobertas acerca do TDAH. Uso inclusive outro perfil do FB para isso. Ainda obtenho trocas maravilhosas com pessoas igualmente ótimas. Me deparei com um assunto que muitas outras pessoas me revelaram já terem entrado em contato, que trata de "crianças índigo". Inocentemente postei o link do blog aqui, com o fim de discutir o assunto com outras pessoas. Em nenhum momento quis impor minha opinião, difundir crença religiosa ou converter pessoas, MUITO MENOS DESACREDITAR ESTUDOS CIENTÍFICOS E O TRABALHO MÉDICO DE PROFISSIONAIS QUE NOS AUXILIAM EM NOSSO TRATAMENTO. Creio piamente e defendo o diagnóstico baseado em exame clínico, realizado por profissional da área. Me trato com um psiquiatra e uma psicóloga. Simplesmente quis dividir uma informação que cruzou o meu caminho e pelo visto, cruzou o caminho de outras pessoas. O retorno das pessoas foi variado: vi pessoas curiosas, outras identificadas com o tema e outras rechaçando veementemente. Todos praticando o direito democrático do livre debate. Quão grande se torna a minha surpresa ao retornar aqui para continuar a trocar figurinhas e me vejo BANIDA da comunidade,e meu tópico excluído! Antes mesmo de constatar isso, passei o meu primeiro dia de férias, que foi hoje, de cabeça baixa, pensativa e com o coração pesado, pois recebi comentários um tanto quanto hostis de um dos administradores do grupo. No entanto, nunca imaginei que a defesa veemente do ceticismo culminaria em uma aitude discriminatória. Porque obviamente me senti discriminada, no mínimo rejeitada! Em nenhum momento sequer eu fui descortês, desrespeitosa ou impertinente com nenhum dos membros deste grupo e quem me conhece sabe que eu não poderia sê-lo com ninguém, nem no auge do meu desgosto, como vocês todos podem ver. Em um espaço em que se garante a livre discussão como um grupo online do FB considero passar por isso um verdadeiro achincalhe do meu direito de livre expressão! Em minha defesa, relato ainda que o assunto em questão - "crianças índigo" - embora tenha cunho diversificado, não se desvia do foco e objetivo do grupo, pois é relacionado com TDAH. A mera discussão do tema não ameaça em nenhum momento, ao meu ver, a veracidade irrefutável de que lidamos com um transtorno largamente reconhecido pela comunidade médica. Se em algum momento ofendi a moral de alguém, a atitude minimamente civilizada que se espera é que esta pessoa me comunicasse seu incômodo e como pessoa civilizada que sou, com dignidade me retiraria deste grupo tão seleto de pessoas. Porém, haja vista o tratamento que me foi dado, acho dubitável que este grupo seja tão seleto assim, ou tenha administradores com o mínimo de civilidade esperada de um cidadão comum. E isto constato com o máximo pesar, diante da constante acolhida e camaradagem com que o @Ferreira Grama sempre me dispensou. Ainda assim, me digno a desculpar-me caso tenha ofendido ou maltratado alguém, embora ache isso muito improvável de ter ocorrido, diante de minhas raras, porém sempre cordiais aparições na comunidade.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Crianças Índigo



Tem uma teoria da psicologia que alega que as crianças nascidas da década de 80 pra cá - a chamada geração Y - teriam uma atividade cerebral diferenciada, marcada por impulsividade, desatenção e hiperatividade.

Essas crianças seriam revolucionárias e questionadoras, com um nível elevado de inteligência e criatividade, tornando-se desafiadoras até para a educação dos pais.

Essa teoria foi incorporada pelo Espiritismo, que diz que estas crianças seriam espírtos mais elevados e exilados da estrela plêiade Simone.

Supostamente nesta estrela vivem espíritos mais iluminados, mais especificamente de uma luz azul (blue jeans), de matéria mais fluídica. Quando a estrela passou por sua última transição, espíritos que não poderiam mais acompanhar a evolução espiritual de Simone vieram a Terra, carregando consigo também a missão de uma quebra de paradigmas capaz de levar o planeta a uma nova fase de evolução - de planeta de expiação para de regeneração - e preparar as pessoas para entrar na faixa de iluminação de Simone.

A partir de 21/12/2012, dizem os médiuns que vem recebendo mensagens dos Emissários de Luz, a Terra estará absolutamente imersa na luz de Simone e ali ficará pelos próximos 2.000 anos, regenerando-se. (como eu queria poder viver mais 2.000 anos!!!)

Por conta dessa iluminação azul de suas auras, esses espíritos são chamadas de crianças índigo.

Mas a parte mais impressionante dessa teoria pra mim é a que trata das crianças cristal. Segundo estudiosos da Doutrina e da psicologia, essas crianças estão nascendo agora em nosso planeta, e tem características ainda mais marcantes. Tem dificuldade para aprender a falar, pois seu aparelho fonador seria muito diferente daquele trazido de suas outras encarnações, são muito mais calmas do que as índigo e tem personalidade pacificadora. Sua aura tem uma cor cristalizada, demonstrando sua evolução espiritual ainda maior, e sua presença é harmonizadora.

Por conta de sua dificuldade de assimilar sua encarnação em uma matéria mais "pesada" como a da Terra, algumas destas crianças são acometidas de autismo e/ou Síndrome de Asperger.

Sabemos que na vida na Terra lidamos com nossa condição de TDAH com medicação, na maioria das vezes. No entanto, o posicionamento de alguns espíritas em relação a isso é um pouco decepcionante pra mim. Alguns são contra o uso de medicação. Mas isso já é papo pra outro post.

Até lá, deixo vocês com o discurso dessa menina que provavelmente nasceu na década de 80 e tem muita coisa pra dizer. Tanto que foi falar na ONU tudo o que ela pensava.


domingo, 29 de janeiro de 2012

Vugnon


Cupcake Skol

TDAs tem dificuldade de se fixar em uma determinada atividade e quando conversam tem dificuldade em se manter por muito tempo no mesmo tema.

Aqueles que tem hiperatividade ainda costumam interromper seus interlocutores, não dando a eles nem tempo de responder suas perguntas. Algo mais ou menos assim:

- Fulana, você já respondeu aquele e-mail que te encaminhei hoje de manhã?

- Eu…

- Ah, é! Você mandou com cópia pra mim, né? Desculpa, é que eu esqueci! Smiley mostrando a língua

Uma das minhas gerentes uma vez me disse que não votou em mim para uma promoção porque me achava enrolada e quando trabalhei com ela, eu usava muito o verbo esquecer…

Enfim, tô divagando de novo!

E é exatamente esse o tema desse post! Quem tem TDA ou convive com um já está acostumado a abordar com ele inúmeros assuntos em uma mesma conversa, às vezes até no mesmo fôlego!

Meu namorado também é TDA e aqui em casa a gente começa a conversar sobre uma conta que tem pra pagar e termina falando sobre a Guerra de Canudos! Vai entender…

Pra esses momentos a gente acabou criando uma espécie de senha. Sempre que um divaga demais e quer voltar ao assunto original, faz esse sinalzinho com a mão de “retorno”, igual do cupcake. Como TDA é muito visual e sonoro também, a gente criou uma sonoplastia pro sinal também. Vugnon! (vunhon) A gente escreve assim pra sacanear algo em francês que eu nem me lembro mais o que era. Hahaha!

Aliás, quando a gente criou o vugnon, era pra significar “eu tava pensando a mesma coisa” quando um dos dois puxava um assunto, mas acho que a gente acabou criando o vugnon do vugnon. <o>

É. Conversar com a gente pode ser um desafio. Mas um bem divertido, porque NUNCA ficamos sem assunto!

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Listas, listas, listas!

Minha casa geralmente está uma "bagunça organizada", já que eu moro com outro TDA. Quando dou meus picos de hiperatividade, geralmente são direcionados em organizar a casa ou ,como eu chamo, "dar um tapa".
Meu namorado fica maluco, mas não consigo viver em um ambiente muito desorganizado. Começo a me sentir tão desconfortável que não consigo sair do lugar, tipo, não sei nem por onde começar! Aí saio organizando tudo, e por pouco os controles remotos não param dentro da geladeira e os chinelos dentro do forno. :D
Quando o bicho carpinteiro não dá tapa no barraco, me põe escrevendo. E qual a melhor coisa pra organizar os pensamentos? LISTAS!
Aliás, qual a melhor coisa pra organizar QUALQUER COISA?
LISTAS!
Pensando em malucos como eu, o Listography  permite que você crie inúmeras listas, com inúmeros assuntos e tópicos e cores é liiiiiiiindo! Me empolguei, peraí. *respira*
O layout é bem simples e a edição também, perfeito pra quem fica sambando de um site pro outro mas não abre mão de organizar a prioridade de acesso dos mesmos. :P



E você ainda pode fuçar a lista dos outros e socializar com outros "listógrafos"!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Rita, meu amor

Rita, você é uma bandida!
Você só vem quando teu cafetão permite,
e eu, carente de ti, fico feito uma pateta em frente ao balcão,
esperando a vez de te ver, de te ter em minhas mãos de novo,
segurando aquela senha amarela, da cor do meu sorriso.
 
Quando você está comigo, quando faz parte de mim
tudo faz sentido, música tem ritmo,
livros tem linhas, palavras tem som,
e elas só saem da boca quando é preciso.
Mas isso eu preciso dizer, até porque você não está aqui.
 
Rita, sem você eu me sinto perdida!
Fico tal qual telefonista na década de quarenta:
mil luzes à minha frente, piscando, insistentes.
Cada luzinha é uma vozinha sem nome.
E eu ali, sem saber a quem dar a vez.
 
Não é que eu não viva sem você, Rita.
As pessoas vivem sem paz.
Mas se eu posso te ter, minha paz
Minha Rita, Pazrita, Ritapaz
Não tem razão de abrir mão de você!
Disso eu ainda não sou capaz.
Volta, Rita, meu amor. Sua bandida.

Da tua perdida. 

1 - Deixei a última receita de Ritalina vencer. Típico. ¬¬
2- Ela já voltou.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Dèja vu

Vi esse vídeo no Youtube e depois no [blog da alice].

Embora o rapaz fale à beça e de forma meio desordenada – talvez porque ele é TDAH, né? Dã! – o vídeo é muito elucidativo e abrange temas como preconceito e botar a cara pra discutirmos o assunto.

Embora eu não tenha a coragem do rapaz, acho louvável sua atitude.

Eu vi o vídeo até o final, você também consegue! Certeza que você vai se identificar!

Diálogos matutinos

Consciência: Você deveria estar dormindo agora.

Avoada: Você que não deveria estar criando diálogos comigo às 5 da manhã!

Consciência: Eu acho que você deveria falar com seu psiquiatra a respeito das nossas conversas.

Avoada: Por quê?

Consciência: Porque não é normal.alguém ficar batendo papo comigo a essa hora!

Avoada: Ué, por quê? Isso é um bom sinal, quer dizer que tenho altos níveis de ética!

Consciência: Você acorda cedo amanhã, né?

Avoada: Sim.

Consciência: Porque você tem compromissos a cumprir, certo?

Avoada: Certo. (já de saco cheio)

Consciência: Descumprir com eles não seria legal, e se você não dormir, não cumpre nenhum.

Avoada: ¬¬

Consciência: Liga pro médico amanhã.

Avoada: POR QUÊ ???

Consciência: Porque já fodi com todo esse teu papo de ética, oras!

Avoada: PQP! (vira pro outro lado)

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

FOCA NO TRABALHO, AVOADA!

Procurei minha chefe pra que ela me desse uma direção sobre meu trabalho.
Tenho muita necessidade de direcionamento e disciplina, organização. E pode crer que minha chefe sabe disciplinar os seus subordinados como ninguém!
Quando eu era mais nova, tínhamos um professor de história no 2º grau que era o cão chupando manga de chato! Mas eu gostava dele. Eu sabia desde então que eu precisava de alguém me cobrando, me colocando pressão, enquanto reafirmava que acreditava no meu potencial.

TDAH = DESORGANIZAÇÃO + BAIXA AUTO-ESTIMA

TDAH feliz = DISCIPLINA + ESTÍMULO

Fiquei feliz com o retorno que ela me deu. Minha antiga chefe cantou a pedra pra ela de que eu tinha um problema de distração. Desde que passei a trabalhar neste novo setor (após minhas cagadas, fui realocada) que estou medicada.
Foi com muito alívio que ela me confessou que ainda não teve indícios materiais no meu trabalho desta minha distração, que é fatídica, mas sentiu que eu sou meio dispersa.
Expliquei pra ela que, devido a esta minha característica pessoal da dispersão, tento limitar meus momentos de cafezinho e papo com as amigas a poucos minutos por dia, somente com o fim de espairecer a mente pra retornar com força total pro trabalho. Que reconheço esta minha característica, mas que é por isso que fico com os fones de ouvido full time no ouvido, pra evitar a dispersão. Enfim, relatei porque e como estou me esforçando.
Em nenhum momento confessei ser TDAH. Não quero espalhar isso dentre meus colegas, criando uma ideia de que eu possa ter algum tipo de limitação. Eu tenho condições de comportamento apenas, que podem ser contornadas com organização, auto-consicência e disciplina.
Ela aparentemente compreendeu tudo e me pediu extra-comprometimento pra que eu continue apresentando resultados com eficiência, ou seja, resultado DENTRO DO PRAZO!
Ah, se ela soubesse como esse lance de prazo me estressa! É um desafio, é leão na selva, mas sou teimosa e não desisto! Quero provar pra mim mesma (e ninguém mais) que eu posso!

Então, a ordem do momento é essa: FOCA NO TRABALHO, AVOADA!

Cabou a farra! FOCA NO TRABALHO!


P.S.: Não me aguentei, imprimi essa foto e me dirigi a sala da Gerência, embuída do meu mais refinado profissionalismo e perguntei a chefe: "Olha, eu criei um cartaz motivacional mas só vou colocar no nosso mural se você achar adequado" e mostrei a foto.
*
*
*
*
*

Ela pediu pra imprimir maior e colar em todas as pilastras da sala. Hahaha!

Talvez você goste de...

Tags

ABDA (4) academia (2) acordar (1) adolescência (1) agressividade (2) álcool (1) alimentação (1) android (1) anjo da guarda (1) ano novo (1) ansiedade (6) antidepressivos (2) apertar dentes (1) aplicativos (2) arte (2) asperger (1) astrid (2) atrasos (1) autismo (1) autoboicote (1) autoconhecimento (1) autosabotagem (1) banho (1) bau (2) bebida (2) benfeitoria (1) benjamin franklin (1) bispo do rosário (1) blog (3) bruxismo (1) bula (1) bullet journal (1) bulletjournal (1) casa (1) causos (1) celular (2) cérebro (4) ciclotimia (1) cocaína (1) colônia Juliano Moreira (1) como eu me sinto quando (1) comorbidades (1) contato (1) cotidiano (22) cozinha (2) crianças (1) crianças cristal (1) crianças índigo (1) crise (1) dança (2) daniel radcliff (1) dda (1) dentes (1) depressão (3) desatento (3) dgt td (1) dica (2) direito (1) disforia (1) dispraxia (1) distmia (2) distração (3) divagar (1) divaldo franco (1) dívidas (1) dor (1) dorgas (1) dormir (1) drogas (1) efeitos colaterais (3) eleições 2014 (1) escola (1) espiritismo (4) esquecimento (5) estimulantes (1) estrutura externa (3) estudos (2) evernote (1) Exercício (1) exercícios (3) facebook (1) faculdade (1) festa duro (1) foco (1) forbes (1) fórum (1) gardenal (1) gerenciamento de tempo (4) gestor de tarefas (2) google (1) grupo de ajuda (1) gtasks (1) hallowell (2) Hariel (1) harry potter (1) hiperatividade (2) hiperativo (3) hiperfoco (1) Hospício Pedro II (1) impulsividade (1) infância (1) insensata (1) insônia (3) ioga (2) Joanna de Ângelis (1) jogos (1) kátia cega (1) leitura (1) link (2) listas (3) literatura (1) livro (9) loucura (1) lumosity (3) maconha (1) Maksoud (2) mandíbula (1) mau-humor (1) medicação (11) meditação (4) meme (6) memes (1) memória (1) metilfenidato (1) métodos (5) mitos (9) mostra (1) não está sendo fácil (1) neurofeedback (1) notícia (1) o ciclo da auto-sabotagem (1) organização (6) party hard (1) paulo mattos (2) pesquisa (1) Pinel (1) poesia (1) posts (1) Produtividade (1) psicologia (1) ranger dentes (1) reiki (1) relações sociais (2) relato (1) religião (3) resenha (2) rio de janeiro (1) ritalina (7) ritalina com bobagem (1) rivotril (1) rotina (2) russel barkley (1) São Paulo (2) saúde (2) Seminário (2) site (1) sono (2) stanford (1) tarefas (2) tasks. listas (1) tda (1) tdah (18) tdah adulto (7) tdah infantil (3) tendência (1) teorias (1) teste (2) trabalho (5) tv (1) viagem (1) viagra (1) vício (1) vida financeira (1) Vídeo (5) vídeos (1) vugnon (1) yoga (2)