quarta-feira, 4 de junho de 2014

TDAH e meditação






Um novo estudo da Brown University descobriu que uma forma de meditação para atenção conhecida como MBSR pode agir como  um "botão de volume" para atenção, alterando o padrão de ondas cerebrais. 




Lumosity






O que é MBSR?





Originalmente desenvolvida por um professor da Escola Médica da Universidade de Massachusetts, a meditação de atenção para redução de estresse (mindfulness based stress reduction - MBSR) é baseada em técnicas de autoconhecimento e atenção que foram praticadas de uma forma ou de outra nos últimos dois milênios. O programa de oito semanas de MBSR ainda segue alguns dos princípios da prática original budista, treinando os praticantes a concentrar-se em "pontos de luz de atenção" em diferentes partes do corpo. Eventualmente, espera-se que os praticantes tragam esta experiência para o desenvolvimento da atenção aos seus estados mentais.

Nos últimos 20 anos, MBSR e uma prática similar chamada MBCT foram incluídas em vários planos de saúde de países mais desenvolvidos. Alguns estudos mostraram que estas práticas podem reduzir o estresse em indivíduos com dores crônicas e diminuir o risco de recaídas em depressão.

Nesse estudo, os pesquisadores da Brown University queriam investigar se a MBSR poderia ter uma aplicação mais ampla do que apenas o reino clínico. Poderia a MBSR impactar as ondas alfa do cérebro a ponto de ajudar a filtrar e organizar recepções sensoriais, melhorando o controle da atenção?





Desenho do estudo





Os pesquisadores dividiram os doze adultos participantes em dois grupos: um praticando MBSR e outro não. Depois de 8 semanas, uma magnéticoencelafalografia scaneava o cérebro dos pesquisados enquanto recebiam toques nos pés e nas mãos.

Como resultado, as ondas cerebrais alfa do grupo que se submeteu à MBSR apresentaram mudanças maiores e mais rápidas em relação ao outro grupo, demonstrando que o primeiro gruop era mais capaz de rapidamente concentrar-se em partes relevantes do corpo.





Como as ondas alfa afetam a cognição





Os ritmos alfa ajudam a filtrar as recepções sensoriais no cérebro. Sem a filtragem apropriada, a habilidade de realizar muitas das operações cognitivas mais básicas pode ficar prejudicada.

Imagine a simples tarefa de tirar seu carro da garagem. Para atingir a rua de maneira segura, você deve ter em mente qual seu destino para que direcione o carro corretamente e deve ignorar distrações de todo tipo: notícias no rádio, crianças brincando no fim do quarteirão, uma coceira no seu pé, o brilho do sol nos seus olhos. A maioria das pessoas filtram essas distrações inconscientemente - mas se estímulos irrelevantes te distraem, dar a ré no carro pode se tornar uma provação.

Esse estudo da Universidade Brown está em consonância com outras pesquisas sobre meditação, confirmando descobertas anteriores que ligam performance de atenção melhorada em testes visuais e meditação. Embora seja ainda muito cedo para declarar meditação uma cura - desde para dores crônicas como para controle da atenção, será fascinante ver o que o futuro reserva sobre o impacto sobre o cérebro causado por essa tradição milenar.

Livremente traduzido de: www.lumosity.com

Talvez você goste de...

Tags

ABDA (4) academia (2) acordar (1) adolescência (1) agressividade (2) álcool (1) alimentação (1) android (1) anjo da guarda (1) ano novo (1) ansiedade (5) antidepressivos (2) apertar dentes (1) aplicativos (2) arte (2) asperger (1) astrid (2) atrasos (1) autismo (1) autoboicote (1) autoconhecimento (1) autosabotagem (1) banho (1) bau (2) bebida (2) benfeitoria (1) benjamin franklin (1) bispo do rosário (1) blog (3) bruxismo (1) bula (1) bullet journal (1) bulletjournal (1) casa (1) causos (1) celular (2) cérebro (4) ciclotimia (1) cocaína (1) colônia Juliano Moreira (1) como eu me sinto quando (1) contato (1) cotidiano (22) cozinha (2) crianças (1) crianças cristal (1) crianças índigo (1) crise (1) dança (2) daniel radcliff (1) dda (1) dentes (1) depressão (3) desatento (3) dgt td (1) dica (1) direito (1) disforia (1) dispraxia (1) distmia (2) distração (3) divagar (1) divaldo franco (1) dívidas (1) dor (1) dorgas (1) drogas (1) efeitos colaterais (3) eleições 2014 (1) escola (1) espiritismo (4) esquecimento (5) estimulantes (1) estrutura externa (3) estudos (2) evernote (1) Exercício (1) exercícios (3) facebook (1) faculdade (1) festa duro (1) foco (1) forbes (1) fórum (1) gardenal (1) gerenciamento de tempo (4) gestor de tarefas (2) google (1) grupo de ajuda (1) gtasks (1) hallowell (2) Hariel (1) harry potter (1) hiperatividade (2) hiperativo (3) hiperfoco (1) Hospício Pedro II (1) impulsividade (1) infância (1) insensata (1) insônia (3) ioga (2) Joanna de Ângelis (1) jogos (1) kátia cega (1) leitura (1) link (2) listas (3) literatura (1) livro (9) loucura (1) lumosity (3) maconha (1) Maksoud (2) mandíbula (1) mau-humor (1) medicação (11) meditação (3) meme (6) memes (1) memória (1) metilfenidato (1) métodos (5) mitos (9) mostra (1) não está sendo fácil (1) neurofeedback (1) notícia (1) o ciclo da auto-sabotagem (1) organização (6) party hard (1) paulo mattos (2) pesquisa (1) Pinel (1) poesia (1) posts (1) Produtividade (1) psicologia (1) ranger dentes (1) reiki (1) relações sociais (2) relato (1) religião (3) resenha (2) rio de janeiro (1) ritalina (7) ritalina com bobagem (1) rivotril (1) rotina (2) russel barkley (1) São Paulo (2) saúde (2) Seminário (2) site (1) sono (2) stanford (1) tarefas (2) tasks. listas (1) tda (1) tdah (18) tdah adulto (7) tdah infantil (3) tendência (1) teorias (1) teste (2) trabalho (5) tv (1) viagem (1) viagra (1) vício (1) vida financeira (1) Vídeo (5) vídeos (1) vugnon (1) yoga (2)