sábado, 20 de agosto de 2011

1º passeio com a Ritinha


http://www.flickr.com/photos/elcerdo/



Bom dia, pessoas!

São 06:35 AM. E ontem foi meu primeiro dia vivendo com a Rita.

Não, não, você não está em um blog homoafetivo. Pelo menos, eu acho que não. o_O

Esse é só um apelido fofo pra um remédio muito conhecido de quem tem TDAH, a Ritalina.

Confesso que quando minha terapeuta me disse que meu caso tinha solução, que era um remedinho bobo que não alterava nada, fiquei meio apreensiva. Feliz e de certo modo aliviada, chorei pra cacete durante e depois da consulta, era como se um quebra-cabeças se auto-montasse na minha mente, como se rolasse o big-bang e eu tivesse encontrado a resposta pra obtenção da paz mundial. Mas fiquei apreensiva.

Isso porque tenho pavor de ficar viciada em remédios. Não tenho grana pra ficar gastando em remédios! E eu não queria nem ficar robotizada nem lesada por conta de medicação.

Porém, eu estava assistindo inerte a minha vocação ser desperdiçada, minha carreira que já não é essas coisas sendo jogada no lixo e eu já estava começando a me sentir meio como a minha carreira: um lixo.

Eu tenho uma família ótima, um namorado maravilhoso, que vive comigo e é super parceiro e alguns poucos amigos que ainda me mandam um recadinho no Face ou no Orkut de vez em quando.

Sou super querida no trabalho e as pessoas me tratam super bem e vice-versa. Sou comprometida, empenhada e dedicada ao meu trabalho, mesmo não sendo tudo aquilo que eu almejei pra mim. Mas ainda assim as coisas não estavam dando certo pra mim por lá e cheguei a desperdiçar boas chances de promoção e de reconhecimento, que eu tanto queria.

Diante disso, fui obrigada a pedir ajuda.

Eu já fazia terapia há dois anos e, quando fiz um balanço da minha vida e dos últimos seis meses dentro de certos critérios, minha psicóloga e eu chegamos à conclusão de que eu estava vivendo bem apesar de ter Tanstorno de Déficit de Atenção – TDAH/ DDA até este momento. Só até este momento.

Em outra ocasião, a terapeuta chegou a identificar uma depressão, assim que eu vim morar com meu namorado. Mas eu me recusei a tomar remédios. Achei que eu dava conta.

Dessa vez, a conta tá muito cara preu pagar assim. Então, achei melhor não resistir ao tratamento e parar de sofrer.

A merda é que são 06:47 AM e eu ainda não dormi. E isso não é nada bom porque eu tenho uma vida, né? Como eu vou fazer pra vivê-la hoje? Virada, porém atenta a base de Ritalina? Será que isso é normal?

Já costumo ter bastante insônia então, vou relevar esse sintoma e dar uma chance pra mim mesma e pra Rita.

E pra aliviar a ansiedade que isso tá me causando, vou dividindo por aqui o dia a dia de uma recém-ritalinada . =)

Claro que, dentro daquilo que a minha habitual indisciplina me permitir porque né? DDA's não são muito organizados nem disciplinados. =P

Mas vamos fazer um acordo? Eu falo se você falar. Se tem alguém lendo nessa blogosfera de meu Deus, me dá a mão e vamos nessa juntos, porque tá foda e mal começou!

Beijos,

A.

Talvez você goste de...

Tags

ABDA (4) academia (2) acordar (1) adolescência (1) agressividade (2) álcool (1) alimentação (1) android (1) anjo da guarda (1) ano novo (1) ansiedade (6) antidepressivos (2) apertar dentes (1) aplicativos (2) arte (2) asperger (1) astrid (2) atrasos (1) autismo (1) autoboicote (1) autoconhecimento (1) autosabotagem (1) banho (1) bau (2) bebida (2) benfeitoria (1) benjamin franklin (1) bispo do rosário (1) blog (3) bruxismo (1) bula (1) bullet journal (1) bulletjournal (1) casa (1) causos (1) celular (2) cérebro (4) ciclotimia (1) cocaína (1) colônia Juliano Moreira (1) como eu me sinto quando (1) comorbidades (1) contato (1) cotidiano (22) cozinha (2) crianças (1) crianças cristal (1) crianças índigo (1) crise (1) dança (2) daniel radcliff (1) dda (1) dentes (1) depressão (3) desatento (3) dgt td (1) dica (2) direito (1) disforia (1) dispraxia (1) distmia (2) distração (3) divagar (1) divaldo franco (1) dívidas (1) dor (1) dorgas (1) dormir (1) drogas (1) efeitos colaterais (3) eleições 2014 (1) escola (1) espiritismo (4) esquecimento (5) estimulantes (1) estrutura externa (3) estudos (2) evernote (1) Exercício (1) exercícios (3) facebook (1) faculdade (1) festa duro (1) foco (1) forbes (1) fórum (1) gardenal (1) gerenciamento de tempo (4) gestor de tarefas (2) google (1) grupo de ajuda (1) gtasks (1) hallowell (2) Hariel (1) harry potter (1) hiperatividade (2) hiperativo (3) hiperfoco (1) Hospício Pedro II (1) impulsividade (1) infância (1) insensata (1) insônia (3) ioga (2) Joanna de Ângelis (1) jogos (1) kátia cega (1) leitura (1) link (2) listas (3) literatura (1) livro (9) loucura (1) lumosity (3) maconha (1) Maksoud (2) mandíbula (1) mau-humor (1) medicação (11) meditação (4) meme (6) memes (1) memória (1) metilfenidato (1) métodos (5) mitos (9) mostra (1) não está sendo fácil (1) neurofeedback (1) notícia (1) o ciclo da auto-sabotagem (1) organização (6) party hard (1) paulo mattos (2) pesquisa (1) Pinel (1) poesia (1) posts (1) Produtividade (1) psicologia (1) ranger dentes (1) reiki (1) relações sociais (2) relato (1) religião (3) resenha (2) rio de janeiro (1) ritalina (7) ritalina com bobagem (1) rivotril (1) rotina (2) russel barkley (1) São Paulo (2) saúde (2) Seminário (2) site (1) sono (2) stanford (1) tarefas (2) tasks. listas (1) tda (1) tdah (18) tdah adulto (7) tdah infantil (3) tendência (1) teorias (1) teste (2) trabalho (5) tv (1) viagem (1) viagra (1) vício (1) vida financeira (1) Vídeo (5) vídeos (1) vugnon (1) yoga (2)