sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Desabafo

Hoje vou postar o texto de um amigo que resolveu se confessar com o teclado do computador. Olhaí!

"É foda ser tdah! Tem hora que cansa, ter uma mente tão peculiar e por isso incompreendida, em tempos onde a mediocridade impera cansa a beleza. Não que sejamos perfeitos, não somos, mas parece que os não tdah´s pra não se frustarem com o sua mediocridade nos usam como bodes expiatórios, os nossos defeitos ganham uma magnitude desproporcional e parece que estamos a vida toda em divida com as pessoas "normais", eu queria de alguma maneira acabar com isso.

Não é fácil ser a gente, viver essa instabilidade emocional, acordar feliz e só de falar ao telefone com alguém triste e nosso dia ir por água abaixo é foda. Viver em mundo desumano com uma cabeça igual a nossa é tenso, a gente se importa, por vezes até demais, somos corretos em pensamentos, mas falhos na execução, o que em um sistema capitalista é um pecado capital, somos inconstantes.

Eu tenho 32 anos, tenho um relacionamento de 8 anos, dos quais 5 moramos juntos. Apesar de ter uma carreira estável pra um tdah, vivo altos e baixos, alterno períodos de extrema vontade, com tempos de extrema apatia, começo projetos, envolvo pessoas, todo mundo se empolga e ai eu canso, não quero mais saber de nada, me deprimo é muito duro lidar com esse instabilidade. Em momentos de maior desespero chego a pensar na saída mais fácil, fico tempo pensando em cartas, em uma delas penso em dizer como o mundo faz a gente sofrer, penso em dizer pra pessoas serem um pouco mais sensíveis, não sensíveis como nós somos, mas apenas que tenham alguma sensibilidade, mas são só pensamentos, apesar de tudo, me parece que sempre temos sorte, pois dificilmente estamos abandonados, isso seria um desrespeito com as pessoas que me ajudam.

Mesmo nos momentos mais ruins, eu não perco a esperança, creio firmemente que não tenho uma doença, tirando essa instabilidade, temos qualidades que os não tdah´s não tem. Quando penso num mundo ideal, ele é rodeado por tdah´s, felizes e produtivos, nesse mundo ideal também não existiria dinheiro, as pessoas trabalhariam por prazer, passo horas nesse mundo, quem sabe o dia que eu aprender a tirar as coisas da minha cabeça isso não vire um livro? Mas enquanto essa utopia está longe, fico pensando num jeito de fazer as pessoas entenderem que nós não somos o problema e sim parte da solução. 

Escrevo esse pequeno relato em um momento bem difícil, "não sei distinguir quem tá errado, sei lá, minha ideologia enfraqueceu" essa passagem de uma música do racionais me define bem nesse momento, mas mesmo agora, onde tudo está tão doloroso, eu não perco a fé de que vim pra fazer algo diferente nesse mundo. Creio como uma filosofia de vida que viemos ao mundo pra trazer algo de belo, de diferente, pra fazer a humanidade dar o próximo passo. 

Por isso tdah uni-vos, mesmo nos momentos mais difíceis, acreditem em si mesmos, não deixem eles fazerem você acreditar que não tem valor. Levante a cabeça e enfrente a batalha, pois no fim, um dia haveremos de transformar esse mundo em um lugar melhor. "

Talvez você goste de...

Tags

ABDA (4) academia (2) acordar (1) adolescência (1) agressividade (2) álcool (1) alimentação (1) android (1) anjo da guarda (1) ano novo (1) ansiedade (6) antidepressivos (2) apertar dentes (1) aplicativos (2) arte (2) asperger (1) astrid (2) atrasos (1) autismo (1) autoboicote (1) autoconhecimento (1) autosabotagem (1) banho (1) bau (2) bebida (2) benfeitoria (1) benjamin franklin (1) bispo do rosário (1) blog (3) bruxismo (1) bula (1) bullet journal (1) bulletjournal (1) casa (1) causos (1) celular (2) cérebro (4) ciclotimia (1) cocaína (1) colônia Juliano Moreira (1) como eu me sinto quando (1) comorbidades (1) contato (1) cotidiano (22) cozinha (2) crianças (1) crianças cristal (1) crianças índigo (1) crise (1) dança (2) daniel radcliff (1) dda (1) dentes (1) depressão (3) desatento (3) dgt td (1) dica (2) direito (1) disforia (1) dispraxia (1) distmia (2) distração (3) divagar (1) divaldo franco (1) dívidas (1) dor (1) dorgas (1) dormir (1) drogas (1) efeitos colaterais (3) eleições 2014 (1) escola (1) espiritismo (4) esquecimento (5) estimulantes (1) estrutura externa (3) estudos (2) evernote (1) Exercício (1) exercícios (3) facebook (1) faculdade (1) festa duro (1) foco (1) forbes (1) fórum (1) gardenal (1) gerenciamento de tempo (4) gestor de tarefas (2) google (1) grupo de ajuda (1) gtasks (1) hallowell (2) Hariel (1) harry potter (1) hiperatividade (2) hiperativo (3) hiperfoco (1) Hospício Pedro II (1) impulsividade (1) infância (1) insensata (1) insônia (3) ioga (2) Joanna de Ângelis (1) jogos (1) kátia cega (1) leitura (1) link (2) listas (3) literatura (1) livro (9) loucura (1) lumosity (3) maconha (1) Maksoud (2) mandíbula (1) mau-humor (1) medicação (11) meditação (4) meme (6) memes (1) memória (1) metilfenidato (1) métodos (5) mitos (9) mostra (1) não está sendo fácil (1) neurofeedback (1) notícia (1) o ciclo da auto-sabotagem (1) organização (6) party hard (1) paulo mattos (2) pesquisa (1) Pinel (1) poesia (1) posts (1) Produtividade (1) psicologia (1) ranger dentes (1) reiki (1) relações sociais (2) relato (1) religião (3) resenha (2) rio de janeiro (1) ritalina (7) ritalina com bobagem (1) rivotril (1) rotina (2) russel barkley (1) São Paulo (2) saúde (2) Seminário (2) site (1) sono (2) stanford (1) tarefas (2) tasks. listas (1) tda (1) tdah (18) tdah adulto (7) tdah infantil (3) tendência (1) teorias (1) teste (2) trabalho (5) tv (1) viagem (1) viagra (1) vício (1) vida financeira (1) Vídeo (5) vídeos (1) vugnon (1) yoga (2)