quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Os segredos do cérebro TDAH - parte II


Como o resto do mundo funciona
Os 90 por cento de não TDAH’s são pessoas no mundo referidas como "neuro típicos." Não que eles sejam "normais" ou melhores. Sua neurologia é aceita e aprovada pelo mundo. Para as pessoas com um sistema nervoso neuro típico  sendo interessados nas tarefas, ou desafiadas, ou encontrar motivação na tarefa urgente como útil, mas não como um pré-requisito para fazê-lo.
Pessoas típicas usam três diferentes fatores para decidir o que fazer, como começar a fazer a tarefa, e ficar focado nela até que seja concluída:
1. o conceito de importância (que acham que devem fazê-lo).
2. o conceito de importância secundária - eles são motivados pelo fato de que seus pais, professores, chefes, ou alguém que respeitam pensam que a tarefa é importante para iniciar, enfrentar e completar.
3. o conceito de recompensas para fazer uma tarefa e as consequências, ou punições se não a fizerem.
Uma pessoa com um sistema nervoso TDAH raramente é capaz de usar a ideia de importância ou recompensas para iniciar e fazer uma tarefa. Eles sabem o que é importante, eles gostam de recompensas, e eles não gostam de punição. Mas para eles, essas coisas que motivam o resto do mundo são apenas paliativas.
A incapacidade de usar importância e recompensas para obter motivação tem um impacto permanente na vida dos TDAH’s:
Como podem aqueles diagnosticados com a condição de escolher entre várias opções, se eles não podem usar os conceitos de importância e recompensas financeiras para motivá-los?
Como eles podem tomar decisões importantes, se os conceitos de importância e as recompensas não são nem úteis na tomada de decisão, nem a motivação para fazer e o que escolher? Este entendimento explica porque nenhuma das terapias cognitivas e comportamentais usados para gerenciar os sintomas do TDAH têm um benefício duradouro. Pesquisadores veem TDAH como decorrente de um sistema nervoso defeituoso ou com base em déficit. Eu vejo TDAH como decorrente de um sistema nervoso que funciona perfeitamente bem por seu próprio conjunto de regras. Infelizmente, ele não funciona em nenhuma das regras ou técnicas ensinadas e encorajadas num mundo neurotípico. É por isso que:
TDAH’s não se encaixam no sistema de ensino normal, que é construído em repetir o que alguém pensa que é importante e relevante.
TDAH’s não vão prosperar no trabalho padrão que paga pessoas para trabalhar com base no que outra pessoa, (ou seja, o chefe) acha que é importante.
TDAH’s são desorganizados, pois praticamente todos os sistemas organizacionais lá fora são construídos em duas bases, - priorização e gestão do tempo – o que TDAH’s não fazem bem.
TDAH’s tem dificuldade de escolher entre alternativas, porque tudo tem a mesma falta de importância. Para eles, todas as alternativas parecem iguais.
Pessoas com um sistema nervoso TDAH sabem que, se eles se engajarem em uma tarefa, eles podem fazê-la. Longe de ser mentalidades danificadas, as pessoas com um sistema nervoso TDAH são brilhantes e inteligentes. O principal problema é que eles receberam um manual do proprietário neuro típico já no nascimento. Ele pode funcionar para todos os outros, não para eles.

Talvez você goste de...

Tags

ABDA (4) academia (2) acordar (1) adolescência (1) agressividade (2) álcool (1) alimentação (1) android (1) anjo da guarda (1) ano novo (1) ansiedade (6) antidepressivos (2) apertar dentes (1) aplicativos (2) arte (2) asperger (1) astrid (2) atrasos (1) autismo (1) autoboicote (1) autoconhecimento (1) autosabotagem (1) banho (1) bau (2) bebida (2) benfeitoria (1) benjamin franklin (1) bispo do rosário (1) blog (3) bruxismo (1) bula (1) bullet journal (1) bulletjournal (1) casa (1) causos (1) celular (2) cérebro (4) ciclotimia (1) cocaína (1) colônia Juliano Moreira (1) como eu me sinto quando (1) comorbidades (1) contato (1) cotidiano (22) cozinha (2) crianças (1) crianças cristal (1) crianças índigo (1) crise (1) dança (2) daniel radcliff (1) dda (1) dentes (1) depressão (3) desatento (3) dgt td (1) dica (2) direito (1) disforia (1) dispraxia (1) distmia (2) distração (3) divagar (1) divaldo franco (1) dívidas (1) dor (1) dorgas (1) dormir (1) drogas (1) efeitos colaterais (3) eleições 2014 (1) escola (1) espiritismo (4) esquecimento (5) estimulantes (1) estrutura externa (3) estudos (2) evernote (1) Exercício (1) exercícios (3) facebook (1) faculdade (1) festa duro (1) foco (1) forbes (1) fórum (1) gardenal (1) gerenciamento de tempo (4) gestor de tarefas (2) google (1) grupo de ajuda (1) gtasks (1) hallowell (2) Hariel (1) harry potter (1) hiperatividade (2) hiperativo (3) hiperfoco (1) Hospício Pedro II (1) impulsividade (1) infância (1) insensata (1) insônia (3) ioga (2) Joanna de Ângelis (1) jogos (1) kátia cega (1) leitura (1) link (2) listas (3) literatura (1) livro (9) loucura (1) lumosity (3) maconha (1) Maksoud (2) mandíbula (1) mau-humor (1) medicação (11) meditação (4) meme (6) memes (1) memória (1) metilfenidato (1) métodos (5) mitos (9) mostra (1) não está sendo fácil (1) neurofeedback (1) notícia (1) o ciclo da auto-sabotagem (1) organização (6) party hard (1) paulo mattos (2) pesquisa (1) Pinel (1) poesia (1) posts (1) Produtividade (1) psicologia (1) ranger dentes (1) reiki (1) relações sociais (2) relato (1) religião (3) resenha (2) rio de janeiro (1) ritalina (7) ritalina com bobagem (1) rivotril (1) rotina (2) russel barkley (1) São Paulo (2) saúde (2) Seminário (2) site (1) sono (2) stanford (1) tarefas (2) tasks. listas (1) tda (1) tdah (18) tdah adulto (7) tdah infantil (3) tendência (1) teorias (1) teste (2) trabalho (5) tv (1) viagem (1) viagra (1) vício (1) vida financeira (1) Vídeo (5) vídeos (1) vugnon (1) yoga (2)