domingo, 15 de janeiro de 2012

Não posso ser mãe

 

DSCF0565

Eu tive um namorado que quando descobriu que era bipolar, decidiu que para o bem de todos e especialmente da criança, não teria filhos.

Para o meu bem, melhor eu não ter filhos. Por sorte, meu atual namorado concorda comigo. Mas não é porque TDAH – ou bipolaridade, que não é nosso caso – tem um fator genético forte. Se a gente passa por isso e sobrevive, nosso filho também conseguiria!

Não é porque eu, como TDAH, teria dificuldades em estudar com meu filho e atentar para os horários dele e minhas responsabilidades como mãe. Isso é superável! (com muito esforço)

Estava na casa de parentes do meu namorado e vi um brinquedinho que imitava um livrinho, feito só de figuras e que tocava musiquinhas.

Em menos de 3 minutos olhando o livrinho eu inventei toda uma estorinha baseada nas figuras, apertando todos os botõezinhos com musiquinha. Meu namorado achou tão bonitinho – ele acha as minhas bobices engraçadinhas – que me fez contar a estorinha na frente da família toda e eu fiquei com cara de idiota na frente de todo mundo.

Eu não posso ser mãe. É porque eu provavelmente seria mais abobada que a criança. Gargalhando

Talvez você goste de...

Tags

ABDA (4) academia (2) acordar (1) adolescência (1) agressividade (2) álcool (1) alimentação (1) android (1) anjo da guarda (1) ano novo (1) ansiedade (5) antidepressivos (2) apertar dentes (1) aplicativos (2) arte (2) asperger (1) astrid (2) atrasos (1) autismo (1) autoboicote (1) autoconhecimento (1) autosabotagem (1) banho (1) bau (2) bebida (2) benfeitoria (1) benjamin franklin (1) bispo do rosário (1) blog (3) bruxismo (1) bula (1) bullet journal (1) bulletjournal (1) casa (1) causos (1) celular (2) cérebro (4) ciclotimia (1) cocaína (1) colônia Juliano Moreira (1) como eu me sinto quando (1) contato (1) cotidiano (22) cozinha (2) crianças (1) crianças cristal (1) crianças índigo (1) crise (1) dança (2) daniel radcliff (1) dda (1) dentes (1) depressão (3) desatento (3) dgt td (1) dica (1) direito (1) disforia (1) dispraxia (1) distmia (2) distração (3) divagar (1) divaldo franco (1) dívidas (1) dor (1) dorgas (1) drogas (1) efeitos colaterais (3) eleições 2014 (1) escola (1) espiritismo (4) esquecimento (5) estimulantes (1) estrutura externa (3) estudos (2) evernote (1) Exercício (1) exercícios (3) facebook (1) faculdade (1) festa duro (1) foco (1) forbes (1) fórum (1) gardenal (1) gerenciamento de tempo (4) gestor de tarefas (2) google (1) grupo de ajuda (1) gtasks (1) hallowell (2) Hariel (1) harry potter (1) hiperatividade (2) hiperativo (3) hiperfoco (1) Hospício Pedro II (1) impulsividade (1) infância (1) insensata (1) insônia (3) ioga (2) Joanna de Ângelis (1) jogos (1) kátia cega (1) leitura (1) link (2) listas (3) literatura (1) livro (9) loucura (1) lumosity (3) maconha (1) Maksoud (2) mandíbula (1) mau-humor (1) medicação (11) meditação (3) meme (6) memes (1) memória (1) metilfenidato (1) métodos (5) mitos (9) mostra (1) não está sendo fácil (1) neurofeedback (1) notícia (1) o ciclo da auto-sabotagem (1) organização (6) party hard (1) paulo mattos (2) pesquisa (1) Pinel (1) poesia (1) posts (1) Produtividade (1) psicologia (1) ranger dentes (1) reiki (1) relações sociais (2) relato (1) religião (3) resenha (2) rio de janeiro (1) ritalina (7) ritalina com bobagem (1) rivotril (1) rotina (2) russel barkley (1) São Paulo (2) saúde (2) Seminário (2) site (1) sono (2) stanford (1) tarefas (2) tasks. listas (1) tda (1) tdah (18) tdah adulto (7) tdah infantil (3) tendência (1) teorias (1) teste (2) trabalho (5) tv (1) viagem (1) viagra (1) vício (1) vida financeira (1) Vídeo (5) vídeos (1) vugnon (1) yoga (2)